Flávia e Márcio

Flávia Maria Penha Silva Gonçalves, 38 anos e Márcio de Paiva Gonçalves, 42 anos, são um casal que têm na agricultura orgânica o propósito da produção de alimentos em sua propriedade, que está localizada no Sítio Gonçalves, em Poço Fundo – MG.

Desde 2003, eles produzem no sistema do manejo orgânico; começaram a produção de hortaliças consorciada junto ao plantio de café, por ver uma alternativa para fonte de renda. À época, precisaram trabalhar muito a conscientização das pessoas sobre o consumo dos alimentos orgânicos e construir uma relação de confiança com quem sempre buscou pelos seus produtos nas feiras em que participavam. Respeito, cuidado com a natureza e com o ecossistema, foram motivação no trabalho com a agricultura orgânica. Começaram com a feira de orgânicos em Pouso Alegre e depois a participarem de chamadas públicas para o PAA e o PNAE. Atualmente, além das vendas institucionais, comercializam na Feira Orgânica da COOPFAM, e também, com entregas de cestas nas cidades de Poços de Caldas, Machado e Campestre.

A motivação para a continuidade com a produção orgânica, vem do estreitamento da relação que há entre eles e quem consome seus produtos. Para Flávia e Márcio, é importante o reconhecimento que há por parte dos seus consumidores da qualidade de seus produtos e na geração de renda que há a partir da produção. E também, a questão da saúde, a garantia de que não há risco para as pessoas que consomem seus produtos, de mesmo modo que, não há risco para sua família, ao produzir o alimento.

Flávia e Márcio possuem o certificado de sua produção de hortaliças orgânicas vinculada ao Sistema Participativo de Garantia de Qualidade Orgânica do Sul de Minas (Orgânicos Sul de Minas). Possuem a Certificação Participativa desde 2015. Para eles, o certificado é símbolo de garantia, confiança e rastreabilidade para quem consome os seus produtos, somada à toda uma história do trabalho na agricultura familiar.

O casal sente uma imensa alegria ao ver que famílias vão buscar pelos seus alimentos para iniciar a alimentação de uma criança, de um bebê, pois, é a garantia de que o alimento é saudável. “É como se fosse uma recompensa por todo o esforço que temos por uma produção mais difícil. Então, para nós, é gratificante saber que o produto de nosso trabalho está fazendo com que as pessoas que os consomem, adquiram saúde, imunidade e bem estar”.

0